Viver paredes meias com Ribeira poluída

Viver paredes meias com Ribeira poluída

Lígia Loureiro sofre diariamente com as descargas ilegais na Ribeira de Silvalde que atravessa a sua propriedade

Ninguém quer sair de casa e não conseguir respirar devido ao cheiro de químicos intensos e das fossas. No entanto, Lígia Loureiro é obrigada a viver com esse cenário diariamente. A sua propriedade em Esmojães é atravessada pela Ribeira de Silvalde, curso de água poluída pelas descargas ilegais das fábricas e devido à falta e saneamento. A moradora já fez diversas denúncias, mas nenhuma entidade assume a responsabilidade de resolver o problema.

(Ler mais na edição do Maré Viva)
Advertisements
This entry was posted in Primeira Maré. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s